Para você que deseja otimizar os custos de investimento com pequenas iniciativas!

PRIMEIROS PASSOS

  • Por onde começo?
  • Qual a melhor rota para o projeto?
  • Onde colocar as caixas CTO´s?
  • Quantas fibras utilizar nos cabos?

 

De nada adianta ter uma infraestrutura de fibra óptica ou estar migrando de uma outra tecnologia para fibra óptica para simplesmente vender. Primeiramente, é necessário montar uma estratégia de vendas para o serviço de internet

 

1- ESTRATÉGIA                        

  • Autoridade na área (Região)
  • Atrair mais oportunidades
  • Relacionamento
  • Aumento de reservas
  • Conectar

Ao criar autoridade na área, você será visto como referência em sua região, pois ao encarregar-se independente do segmento de Telecomunicação, começa-se a atrair mais oportunidades, gerando relacionamento com sua comunidade. Posteriormente, surgirá uma certa demanda de pedidos, o levando a um certo aumento de reservas para solicitar o acesso à internet.

Então, sendo o melhor cenário para o provedor quando se obtém uma lista de solicitação para instalação, já que por hora você não é capaz de realizar todas as requisições. Seguindo esta perspectiva se tem uma alavanca para conectar seus possíveis clientes.

 

2- ESTUDO DE PERSONA

Persona é a representação fictícia do seu cliente ideal.

Ela é baseada em dados reais sobre comportamento e características demográficas dos seus clientes assim como uma criação de suas histórias pessoais, motivações, objetivos, desafios e preocupações.

Para profissionais empreendedores que estão começando do zero, antes de implementar um projeto se deve analisar o máximo possível o público alvo, a pessoa para quem você irá vender.

 

3- TAXA DE PENETRAÇÃO (em torno de 50%)

Nos projetos que se elaboram para aplicar como base de consultorias ou cursos, determina-se geralmente uma taxa de penetração de 50% que é relativo de quanto irá atender a determinada região no primeiro momento. Após fazer o estudo de casos, aplica-se a taxa de penetração. Quando indica abaixo de 30% observa-se que as caixas de atendimento ficam muito separadas, havendo o consumo excessivo do cabo drop, consequentemente em termos técnicos os clientes ficarão mais distantes, os instalando em cerca de 300-600 metros.

Ao indicar 60%, as caixas de atendimento ficam muito próximas, possibilitando a aglomeração da rede com caixas CTO´s utilizando uma demanda maior de fibras nos cabos, levando-o a um desempenho fracassado, tendo que fazer um alto investimento na infraestrutura inicialmente.

Portanto, é de mera importância vir aplicar o método de taxa de penetração de 50% para vir economizar mensalmente com cabos drop.

 

4- TOPOLOGIA DE REDE

Você precisa de uma topologia ideal, estando preparada para a evolução da área, em termos de capacidade de expansão, pontos de atendimento e também em termos de velocidade.

Utilizando como base:

  • Tecnologia GPON
  • Razão de divisão de banda de 1:64 (no primeiro investimento para atender os primeiros 50% de taxa de penetração)
  • Splitter Óptico 1×8 Balanceado Sem Conector (onde se farão as fusões na caixa de distribuição
  • Splitter Óptico 1×8 Balanceado Conectorizado (onde irá conectar a caixa CTO)

Redes Descentralizadas (ramificando o projeto, utilizando áreas estratégicas para os pontos de atendimento)

 

5- COLETA DE DADOS DA REGIÃO

É imprescindível começar seu projeto com a coleta de dados da região, detalhadamente, rua por rua. Portanto, para criar um projeto de sucesso deve-se começar pelo cliente até a base, caso o contrário, sempre encontrará erros em relação ao cálculo de materiais.

Atualmente, para que um projeto seja bem elaborado e adequadamente desenhado deve-se usar a ferramenta:

  • NODE/ÁREA – Para que seu projeto tenha uma divisão e mapeamento ideal, sendo que futuramente ao comandar a área técnica, conseguirá otimizar os custos do seu provedor.

Caso tenhas um projeto mapeado em NODES, terá uma capacidade de atendimento de 512 a 1,024 pontos de atendimento com uma taxa de penetração chegando a 100%, porém dependendo da topologia da sua rede, pode-se personalizar conforme a demanda de atendimento da sua região.

   

6- ÍCONES

Este tópico pode ser aparentemente básico e sem muita importância, porém dinâmico e relevante, deve-se ser utilizado para interagir com a área técnica, para o melhor entendimento de uma forma clareadora, ganhando tempo ao passar informações para melhor entendimento do projeto abordado.

Obviamente utilizando ícones e nomenclaturas de fácil entendimento, nomeando cada Ramal e Node para melhor realização do projeto, evitando erros de comunicação técnica.

 

7- RAMAL DE ATENDIMENTO

Precisa-se entender o diagrama do ramal de atendimento.

Em um molde existe cerca de 8 ramais de atendimento, onde completa-se 64 caixas CTO, mas podendo ser usadas até 8 caixas de distribuição.

Basicamente, um ramal é composto por uma caixa de distribuição óptica que será conectada em até 8 cabos de atendimento, dependendo do modelo da caixa

Uma pergunta geralmente feita: Quantas fibras eu preciso para utilizar no cabo?

Resposta:  Leva-se em consideração que a evolução de nossa infraestrutura depende da fibra óptica ativa em cada caixa, então no primeiro investimento tem-se uma fibra ativa que atenderá um Splitter óptico na caixa CTO, para poder que essa caixa CTO evolua para o próximo nível de atendimento, podendo pôr mais um Splitter na mesma precisa-se de mais uma fibra, ou seja, para cada caixa precisa-se de no mínimo 2 fibras.

 

8-  EQUIPAMENTOS DA REDE

É de suma importância escolher os equipamentos de rede corretos, pois essa etapa que determina o sesse para a infraestrutura, para evitar futuros problemas e poupando-se de trabalhos duros e não correr o risco de fazer tudo novamente do zero.

E por muitas vezes, o provedor não sabe qual caixa de distribuição CTO correta a aderir.

Indicamos abaixo uma das melhores:

Caixa de Distribuição Óptica – CDOI

FOSC 100 B8

 

Podendo ser encontrada na DPR, caso não tenha contato com a mesma, atribuo que entre em contato conosco, que poderemos lhe informar o contato. Também poderá encontrar através da CiaNet, Infortel, ISP shop, dentre outros, onde irão compartilhar convosco um orçamento de um custo benefício excelente.

 

9- POSTEAMENTO

Muito dos provedores não dão devida importância a este fator na hora de executar um projeto. Porém ao realizar estudos, há uma grande necessidade de fazer levantamento de postes pelo fato de poder determinar estratégias de atendimento, facilitando no momento de rotear a entrega de OS´s e de instalações de clientes. Assim, irá adquirir uma operação dinâmica e, todavia, distribuir a quantidade correta de equipamento para a equipe técnica.

 

10- COMO TER SUCESSO COM UMA ESTRUTURA FTTH?

Baseia-se em três pontos importantes para obtenção de sucesso:

  • Mapeamento da região: Deve-se ser um especialista no mapeamento da sua região, detalhadamente, rua por rua.
  • Padronização: Para que seu projeto tenha uma reputação invejável, a padronização é indispensável, para que não sejas questionado em momento algum em relação a uniformização de seu projeto.
  • Topologia Ideal: Deve-se seguir o atendimento e expansão de demanda, crescimento de pontos de atendimentos, ou também de demanda de velocidade com custos otimizados. Podendo não ser muito robusta, dependendo da necessidade do seu projeto.

Gostou do nosso conteúdo?

Então deixe seu comentário e compartilhe com os demais que se interessam no assunto!

Edmundo Lapin

Author Edmundo Lapin

Gerente de Marketing e Mídias Sociais

More posts by Edmundo Lapin

Leave a Reply